Formação para Pais

Conteúdo temático da Formação para Pais

– O impacto do sono na saúde, desenvolvimento infantil e qualidade de vida familiar;
– As características do sono infantil;
– A importância das sestas;
– Higiene do sono e ambiente de sono adequado;
– Associações relativas ao adormecer;
– Os problemas de sono mais comuns;
– Os períodos críticos do sono e como responder.

No final de cada sessão, há um tempo destinado a questões colocadas pelos pais.

Duração: 1h30

O que dizem os Papás sobre as formações 

É sempre um gosto ouvi-la!
Já o fiz em três tempos diferentes da minha vida: enquanto Educadora (quando foi à Creche fazer uma sessão de esclarecimento), enquanto pré-mamã (workshop em Albufeira) e agora enquanto mãe de uma bebé de 3 meses. O sono é uma das coisas que mais preocupa, pois considero que as crianças precisam descansar e os adultos devem lhes proporcionar esse tempo adequado.
O dormir à noite, adormecer sozinho e na sua cama é fundamental…
Nestes 3 meses, tenho feito por tentativa e erro…e realizado varias experiências que vou adequando à nossa realidade e às necessidades da Francisca. Esta semana, depois da nossa pequena conversa, comecei a deita-la mais cedo, e até a deixar na cama para adormecer sozinha, e não é que resultou? E continua a dormir toda a noite! Claro, que antes de ferrar, ainda desperta umas 2 ou 3 vezes, mas se for ao pé dela acalma-la e até colocar a mão no seu peito, ela fica e adormece logo.
Dizem que aos 4 meses há um retorno ou que com o nascer dos dentes pode retroceder, mas até lá, vamos ver o que acontece. Muito obrigado pelas suas dicas, espero que a Francisca me continue a dar boas noites (mesmo eu acordando milhares de vezes durante a noite).
Um grande beijinho e continuação de um excelente trabalho,

Patrícia Jorge Silva

Cara Teresa,

Obrigado pelo seu email e pela informação que partilhou connosco no sábado passado.

Foi com prazer que assisti à sua sessão com a minha filha. Foi bom para mim e foi bom para ela também. Foi bom perceber que, no caso das minhas filhas, fomos assertivos de alguma forma:

– Em bebés, embalava-as e cantava-lhes sempre a mesma cantiga (nestas coisas sigo as orientações de Pavlov) e deitava-as ainda acordas mas calminhas…

– Mais tarde, lia-lhes ou contava-lhes uma história (só uma) na cama e adormeciam depois de “encomendarem um sonho” (pois acompanhava o beijinho de boa noite a perguntar com o que é que iam sonhar e pedia-lhes para fecharem os olhos para agarrarem esses sonhos todos);

– Agora que sabem ler, vão para a cama, leem as histórias delas ou escrevem um pouco no diário delas (que escondem na forra da almofada mas é um segredo);

Não me recordo de ter tido problemas nesta área com elas… sempre optámos por rotinas que fomos alterando com o tempo e consoante as fases de crescimento delas.

A minha filha mais velha (11 anos), que me acompanhou, percebeu muito bem que devíamos evitar os ecrãs depois do jantar e aliás foi ela que explicou isso lá em casa. Ontem à noite foram ambas para a cama sem ver televisão (não foi por castigo, foi por opção): uma ficou no seu quarto a ler e a outra a escrever no seu diário. Quando subi para dar um beijinho, já estavam ambas a dormir profundamente… tão lindo… tão apaziguador. Esta manhã, o acordar foi muito mais pacífico. Assim se começa um bom dia, assim se começa uma boa semana.

Mesmo que só tenha ficado este conselho (acredite que ficaram muitos mais), mas só por este, estou-lhe grato. A minha filha percebeu e até tomou a iniciativa de adotar uns novos hábitos mais saudáveis. Por muito que queiramos, às vezes, nós pais não somos as pessoas indicadas para transmitir mensagens e os miúdos aceitam muito melhor vindo de outra pessoa.

Doravante, tenho eu que seguir também esses conselhos.

Muito obrigado,

Nuno

 

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar