Quando e como fazer a transição do berço de grades para a cama?

Do Berço para a Cama de Grades

Quando e como fazer a transição do berço de grades para a cama?
Esta é uma questão que também muitos pais me colocam e que, por vezes, é vista como uma solução para as más noites de sono. Será mesmo assim?

1 – Será a altura certa?
A expectativa de que a mudança do berço de grades para a cama irá melhorar o sono dos mais pequenos, pode sair frustrada. Este tipo de mudança pode levar a maior agitação, insegurança e mais despertares durante a noite, pois na cama não há limites tão definidos como no berço de grades e a criança, como naturalmente se movimenta muito durante o sono, pode “perder-se” na cama e despertar. Além disso, caso a criança ainda não tenha a capacidade de adormecer de uma forma mais autónoma, irá permitir que saia da cama mais facilmente em busca de outra forma de adormecer ou de mais uma actividade para resistir a adormecer, dificultando todo o processo de adormecimento.
Contudo, quando a criança nunca se habituou a dormir no berço de grades, está habituada a dormir numa cama sem grades e já domina a capacidade de andar, uma boa solução será colocar o colchão do berço no chão, criando barreiras baixas, à sua volta, de forma que não caia do colchão (modelo Montessoriano).

2 – Qual é a idade mais adequada para esta mudança?
Eu recomendo a mudança para uma cama maior, entre os 2 anos e meio e os 3 anos da criança. Antes desta idade, esta mudança tem que ser ponderada caso o berço deixar de ser seguro, se a criança tente sair e possa cair. Nesta faixa etária, a criança pode participar com maior entendimento nesta mudança, aceitar as regras – “só sais da cama, à noite, se precisares de fazer xixi; se precisares da mamã ou do papá, chamas antes de sair da cama, pois podes magoar-te” e sentirá que ganhou um prémio, uma cama maior, mais liberdade, mas que também tem que assumir mais responsabilidade, na gestão de ter ganho maior autonomia.

3 – Preparar e comunicar
É muito importante que seja abordada esta mudança com a criança e que ela faça parte de todo o processo de compra da cama, lençóis novos, que bonecos colocar na cama, onde colocar a cama. Faça com que a criança se divirta com esta mudança e ao mesmo tempo explique as regras de dormir: como deve adormecer, se despertar, o que deve fazer, quais são as regras desta transição.

4- Qual é a cama ideal para uma criança?
A cama ideal para uma criança, não é uma cama de casal, tanto pelo excesso de espaço, que como expliquei anteriormente, pode levar a que a criança desperte mais vezes, por se perder na cama. Já existem no mercado camas que vão aumentando de comprimento, conforme o crescimento da criança, o que pode ser uma boa opção. Senão, aconselho que mesmo numa cama mais pequena, de solteiro, coloque alguma coisa aos pés da criança que lhe permita sentir onde está o limite, aumentando o sentimento de segurança.

5 – Mantenha a segurança na cama
Escolha bem as barreiras a colocar na cama e que se ajustem bem a ela. Eu tive uma má experiência com umas que ficavam presas com um género de pinças. Ao meio da noite, a minha filha caiu e com ela a barreira. Felizmente, não se magoou e nem acordou! Mas, nós pais ouvimos o estrondo e ficámos muito assustados, mais ainda quando a vimos no chão. Se vive numa casa com escadas, deve colocar alguma barreira que não permita a criança sair do quarto sozinha, ao meio da noite.

Bons soninhos!